Em meados de 2003 o ESAP – Instituto de Estudos Avançados e Pós-Gradução S/C Ltda, tomou a decisão consciente de oferecer cursos de graduação e ao mesmo tempo desenvolver projetos que colaborassem para impulsionar ainda mais o desenvolvimento do Estado do Paraná. Nesta época a região sudoeste do Paraná vivia uma de suas melhores fases econômicas, mas enfrentava um sério problema na área educacional: a carência da educação do superior na região limítrofe do Paraná com a Argentina, no âmbito do MERCOSUL.

    Ao final de 2004 a mantenedora obteve o credenciamento da Faculdade Iguaçu por meio da Portaria MEC n.º 2762/04 e autorização de funcionamento dos cursos de graduação em Administração e Sistemas de Informação, por meio das Portarias MEC 2763/04 e 2764/04, respectivamente. A Faculdade Iguaçu realizou seu primeiro vestibular no início do ano de  2005 oferecendo 50 vagas para o período noturno para cada um dos cursos, procedimento adotado ao longo de seus 11(onze) anos de funcionamento. Portanto, tem funcionado regularmente, obtendo por parte dos alunos e das comunidades da região, conforme processo de avaliação institucional, relevantes conceitos a respeito de sua qualidade curricular, acompanhada da competência de seus docentes nas seis turmas .

       A Faculdade Iguaçu, após processo protocolado junto ao INEP, pertinente à solicitação de mudança de mantença, teve a mesma deferida por meio da Portaria nº 1620 de 3 de novembro de 2009 em nome do Instituto São Francisco de Administração, Comunicação, Educação e Saúde Ltda (ISFACES). No ano de 2014, por questões de reorganização empresarial, protocolou junto ao INEP outro processo solicitando, dessa feita, a mudança de mantença em nome do Instituto de Educação e Cultura de Capanema (IECC), sendo ela atendida, via Portaria Nº 218 de 25 de fevereiro de 2015.

    A Faculdade Iguaçu, ocupa as instalações do imóvel de propriedade Associação do Instituto Vocacional e Assistencial Santa Cruz de Capanema (IVASC) sob termo de concessão de direito real de uso a título de comodato.- CNPJ 80.883.242/0001-00, localizado à Avenida Botucaris, 1590, Bairo Santa Cruz – CEP 85760-000 Municipio de Capanema-Pr, pelo prazo de 5 (cinco) anos a partir de 1º de março de 2015.

    A Faculdade Iguaçu por meio de seu Projeto Pedagógico Institucional, tem se preocupado com uma educação voltada para o autoaperfeiçoamento e para a prática de uma liberdade consciente e adequada a uma nova realidade, favorecendo ao longo das experiências de ensino-aprendizagem, o desenvolvimento da autoconfiança; da solidariedade e da capacidade criativa dos indivíduos.

    Consciente, pois, da necessidade de se adotar um novo paradigma educacional  centrado na nova economia, cada vez mais baseada em informações e no conhecimento, a Faculdade Iguaçu tem se posicionado como um lócus do saber, da liberdade acadêmica e da inteligência. Sua matriz curricular proporciona horizontes de convivência com a pesquisa na fronteira do conhecimento, proporcionando considerável contribuição para se desenvolver o raciocínio independente, criativo e inovador, inclusive, através do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC, cujo objetivo geral é contribuir para a formação de recursos humanos para a pesquisa, contribuindo também para a preparação do acadêmico em suas atividades na pós-graduação em face à necessidade de interação entre a graduação e a pós-graduação.

    Nesta perspectiva, a Faculdade Iguaçu tem proporcionado aos alunos a oportunidade de desenvolver competências que possibilitem sua inserção no mundo do trabalho e a de participar numa sociedade altamente competitiva, sendo responsável pelo perfil dos profissionais que serão formados.

    Em seu Projeto de Desenvolvimento Institucional (PDI) ,o interesse pela qualidade ocupa um lugar de destaque via o multiforme exercício da docência, por meio da atualização didática, conceitual e científica profissional dos professores, via PROAMS ( Programa de Aperfeiçoamento do Magistério Superior),  objetivando que fruto da lições aprendidas nos encontros, seminários e mini-cursos, o professor possa concorrer no sentido que o acadêmico aprenda a aprender, a ser e a conviver de forma transformadora.

    Com relação à Extensão em seus diversos níveis, considera sua relevância e pertinência, sabendo que deverá reexaminar as disposições institucionais aplicadas à integração com a sociedade, de forma aberta e comprometida com as ‘mazelas’ do seu entorno social. Assim, direciona suas ações na produção do conhecimento buscando superar as desigualdades sociais existentes, bem como a busca de fortalecimento do futuro profissional do acadêmico, voltado ao exercício pleno de sua cidadania, ou seja: o profissional cidadão, em equilíbrio com as demandas socialmente exigidas e as inovações que surgem do trabalho acadêmico.

    Preocupada também com o aperfeiçoamento de seus egressos, e ciente da mobilidade ocupacional nos dias atuais, está em constante interação com a comunidade de Capanema e sua sociedade empresarial, aproximando os seus acadêmicos e seus professores ao mundo do trabalho nos âmbitos regional e estadual, confirmando as três características definidoras de uma Instituição de ensino superior - ensino, pesquisa e extensão, em busca do atendimento aos novos desafios contemporâneos, tais como: a) a globalização, b) o empreendedorismo, c) a sociedade da informação, d) as implicações da colaboração, e) as demandas suscitadas pela responsabilidade social quanto à preservação do meio ambiente, f) o respeito aos direitos humanos, e g) as atenções para com a diversidade humana e cultural, como por exemplo, as práticas curriculares consonantes à cultura afro-brasileira e indígena.

    Ao longo de sua promissora história, há de se ressaltar que a importância da Faculdade Iguaçu não se resume só na formação de profissionais para o mundo do trabalho nas áreas de administração e sistemas de informação, mas, sobretudo, o papel relevante de interagir com as comunidades do entorno, inclusive, por meio de suas atividades de extensão. A título de  ilustração, o projeto “Empresa Destaque”, cujo objetivo é realizar a mensuração da qualidade dos serviços prestados pelas empresas de Capanema, projeto realizado em parceria com a Associação de Indústria e Comércio do município com vistas à concretização teoriaóprática.

    A Faculdade Iguaçu, após processo protocolado junto ao INEP, pertinente à solicitação de mudança de mantença, teve a mesma deferida por meio da Portaria nº 1620 de 3 de novembro de 2009 em nome do Instituto São Francisco de Administração, Comunicação, Educação e Saúde Ltda (ISFACES). No ano de 2014, por questões de reorganização empresarial, protocolou junto ao INEP outro processo solicitando, dessa feita, a mudança de mantença em nome do Instituto de Educação e Cultura de Capanema (IECC), sendo ela atendida, via Portaria Nº 218 de 25 de fevereiro de 2015.

    Os cursos ofertados pela Faculdade Iguaçu  receberam o aval do INEP, em relação aos pedidos de reconhecimento dos cursos de Administração e Sistemas de Informação por meio das portarias de Nºs 1.350 de 10 de setembro de 2009, e 1.287 de 4 de agosto de 2009, respectivamente. De igual forma, na oportunidade em que solicitou a renovação de reconhecimento, alcançou seu objetivo via portarias Nº 704 de 18 de dezembro de 2013 e 412 de 23 de julho de 2014 referentes aos cursos de Administração e Sistemas de Informação, respectivamente. Estas conquistas probabilizaram uma reflexão crítica sobre toda a conjuntura histórica da Faculdade Iguaçu caracterizada pela evidência da concretização: a) do atendimento das carências educacionais da região, para ajudá-la no desenvolvimento e inovação de produtos e serviços que contribuiram para a sua prosperidade; b) da prestação de serviços convencionais e avançados, para o aprimoramento do atendimento especial, de acordo com a qualidade exigida pelos diversos segmentos do mercado, contribuindo para atrair, desenvolver e incentivar a comunidade via excelência de seus serviços; c) da contribuição à melhoria dos serviços de administração de negócios empresariais e a formação de profissionais necessários à sociedade em desenvolvimento, mediante o domínio e a difusão de conhecimentos em prol das soluções de acesso, uso das novas tecnologias de informação e lucratividade delas decorrentes, d) da busca da excelência no que realizará, desde pesquisa, produção e prestação de serviços (extensão), com vantagem competitiva na área empresarial, portanto, promovedora de uma melhor qualidade de vida para todos.

    Portanto, os pressupostos que a instituição mantenedora acalentara, se confirmara se na medida em que a IES se constituíra num lugar onde se ensinasse e se aprendesse de forma democrática, envolvendo os membros da organização e tantos outros da comunidade representativa da sociedade Capanemense. Consequentemente, reconhecendo a importância das atribuições conferidas ao Núcleo Docente Estruturante - NDE, ao Núcleo de Apoio Pedagógico/Psicopedagógico Integrado (NAPPI), da Ouvidoria, do Conselho de Professores, da Comissão Própria de Avaliação - CPA e outros organismos institucionais, procurou cuidar de cada uma delas, elaborando seus regimentos e os oficializando mediante Atos Executivos lavrados pelo Conselho de Administração Superior - CAS. Estas providências concorreram para emprestar dinâmicas aos setores envolvidos, por meio da transparência de seus relatórios, reforçar o novo modo de gestão educacional, capaz de tornar realidade a almejada excelência da IES, segundo os domínios: o da razão – no qual estão compreendidos os conceitos, a filosofia, a missão, a visão da IES; o modo de atuação – significando as metodologias aplicadas, e dos valores - representando as relações interfaces do ambiente organizacional.

    Estes domínios caracterizariam as forças que agem continuamente na interação umas com as outras determinando os limites da qualidade, da temporalidade e dos resultados da instituição educacional. Como decorrência, a Faculdade Iguaçu, por meio de seu Projeto Pedagógico Institucional, se preocupa com uma educação voltada para o auto-aperfeiçoamento e para a prática de uma liberdade consciente e adequada a uma nova realidade, favorecendo, ao longo das experiências de ensino-aprendizagem, o desenvolvimento da autoconfiança, da solidariedade e da capacidade criativa dos indivíduos. Isto significaria formar:

  • pessoas críticas e responsáveis e não indiferentes ou conformadas com o mundo em que vivem;
  • pessoas conscientes de seu espaço de criação e de sua capacidade de transformação da sociedade.